BLOG

Tudo que você precisa saber sobre condicionador sólido

Por: Trópica Botânica em 09/10/2019

Depois das barrinhas de shampoos sólidos, os condicionadores chegam no mesmo formato – era o item que faltava para uma rotina de cuidado capilar sem uso de embalagens plásticas e ingredientes sintéticos.
Como acontece com o shampoo, o condicionador sólido tem características únicas e muitas diferenças entre formulações. É sobre isso que vamos falar aqui 🙂

O que é um condicionador


Apesar de extremamente popular nos banheiros do mundo inteiro, é comum que não se tenha a menor ideia de como funciona um condicionador! De forma bem simples, condicionadores são produtos originalmente desenvolvidos visando diminuir a força necessária para pentear ou escovar os cabelos, em especial úmidos – principalmente no caso de fios finos, ondulados e cacheados, que são geralmente ainda mais delicados e suscetíveis à quebra. Esse efeito maleável continua nos fios quando secam, trazendo diversos benefícios à saúde capilar. Os condicionadores possuem diferentes mecanismos de ação, mas sempre depositando um tipo de molécula que atuará na superfície da fibra capilar, diminuindo a fricção ou atrito entre os fios . É esse atrito que muitas vezes pode causar o rompimento e a opacidade capilar! A ação condicionante atua portanto na diminuição do frizz, permitindo maior lubrificação e flexibilidade do fio, auxiliando na doação de brilho aos cabelos. 

Ambos fios foram escovados úmidos, 700 vezes cada. Na primeira imagem sem condicionador, com danos visíveis à cutícula; na segunda após aplicação de condicionador. (Crédito: Barel, A. O.; Paye, M.; Maibach, H. I (ed.) Handbook of Cosmetic Science and Technology, 3rd ed. New York: Informa Healthcare, 2009)

A forma mais comum de condicionadores emprega surfactantes catiônicos como mecanismo de ação. Essas moléculas possuem uma carga elétrica positiva capaz de se ligar a locais de carga negativa nos fios. Isso significa que elas neutralizam essas cargas negativas, que são as responsáveis por aumentar a fricção e a repulsão entre os fios, bem como alteram o caráter hidrofóbico natural dos cabelos. Com o condicionador catiônico este caráter é retomado (ou seja, os fios voltam a repelir umidade) resultando em fibras mais macias e menos estática acumulada. 

Esse é um dos principais motivos de condicionadores serem grandes aliados na transição ou até mesmo no uso cotidiano de shampoos sólidos. Para algumas pessoas, o shampoo sólido de saponificação natural pode ter uma tendência de aumentar a fricção e os sítios de carga negativa nos fios. Graças à ação dos condicionadores essa tendência é revertida, sendo especialmente indicados no uso em conjunto com shampoos sólidos para uma experiência bem sucedida e duradoura!

O que é um condicionador sólido


Condicionador sólido nada mais é que um produto de ação condicionante no formato sólido, em barras. Eles podem ter formulações naturais ou não, dependendo da proposta de quem os oferece. As vantagens de um condicionador sólido natural são muitas, assim como no caso dos shampoos sólidos: 

  • Redução do uso de embalagens, com a possibilidade de uso exclusivo de papel, sem plásticos; 
  • Biodegradabilidade da embalagem e do produto (em casos de agentes catiônicos comprovadamente biodegradáveis); 
  • Tamanho reduzido, conferindo praticidade e redução da pegada de carbono desde a produção até o transporte; 
  • Versatilidade e maior concentração de ativos em um volume muito menor de produto! Enquanto um condicionador líquido vem de fábrica já emulsionado em água, o condicionador sólido irá emulsionar na própria água do banho durante o uso, sendo necessárias quantidades muito menores por aplicação e, portanto, rendendo muito mais. Menor desperdício para quem usa e maior economia de recursos para o planeta.

O que são quaternários de amônio (e que problemas podem causar)

Um dos agentes condicionantes mais comuns e amplamente utilizados na indústria cosmética são os compostos quaternários de amônio (CQA). O nome é complicado, mas a explicação é simples: eles consistem basicamente em uma cadeia carbônica longa ligada a um átomo de nitrogênio onde se localiza a carga positiva. Existem diversos tipos de quaternários de amônio usados atualmente, tanto como agentes desinfetantes quanto condicionantes, e eles podem ser identificados pelo nome e sua terminação em -mônio. Cloreto de cetrimônio ou metasulfato de behentrimônio são alguns exemplos bastante encontrados. Essa mesma classe de compostos é encontrada em amaciantes de roupas, desinfetantes e detergentes. 

Apesar de largamente utilizados, os quaternários de amônio possuem algumas questões preocupantes associadas a eles. Embora sejam dados como biodegradáveis em condições aeróbicas (ou seja, na presença de oxigênio), a realidade é que existe um grande acúmulo destes compostos em rios e seus sedimentos, carregados pelo esgoto tratado e não-tratado despejados nestes cursos d’água. Por conta de sua estrutura química, eles têm muita facilidade em se ligar a cargas negativas presentes no lodo do esgoto, o que dificulta sua degradação e também seu tratamento, uma vez que essa ligação geralmente acontece antes da sua decomposição [2].

Quaternários de amônio apresentam toxicidade à vida aquática, como peixes, crustáceos, algas, protozoários e diversos outros microrganismos. Sua grande aplicação também é vista como fator de aumento de resistência de bactérias a estes agentes biocidas, da mesma forma que a antibióticos. Em muitos casos, a disposição inadequada de resíduos sólidos contendo quaternários de amônio também pode ser preocupante para a vida de microrganismos do solo [2]. Em muitos casos, inclusive no Brasil, esses resíduos são dispostos em aterros  sem isolamento ou impermeabilização do solo 🙁

Estes compostos também apresentam riscos de uso, embora ainda sejam pouco estudados. Alguns efeitos documentados são rinite alérgica, dermatite de contato e toxicidade ocular [3]. Além disso, estudos mais recentes vêm avaliando como a exposição a concentrações ambiente de alguns destes compostos pode ter influência em funções reprodutivas. Os resultados preliminares são preocupantes, indicando uma possível toxicidade reprodutiva [3]. 

Como é o condicionador da Trópica Botânica

Nós da Trópica decidimos usar um agente catiônico natural, sem os problemas associados aos quaternários de amônio – tanto pela falta de pesquisas a respeito de sua biodegradabilidade (principalmente em relação ao metasulfato de behentrimônio) quanto ao alto risco de sensibilização. Nosso agente catiônico, o esilato de isoleucinato de brassicila, é biodegradável, seguro para o uso humano e sem risco de toxicidade encontrado para a vida aquática [4]. 

Ele também possui certificação Ecocert para fórmulas naturais, ao contrário de quaisquer outros quaternários. Sua produção é feita usando biotecnologia, sem solventes ou petroquímicos, através da fermentação de arroz não-transgênico, combinada a derivados do óleo de plantas do gênero Brassica. Sua atuação ocorre da mesma maneira que outros surfactantes catiônicos, melhorando a maleabilidade dos fios, diminuindo o atrito e a energia estática acumulada entre eles. É extremamente suave e seguro para a pele, mucosa (já que o enxágue geralmente passa pelos olhos) e rapidamente biodegradável, sem riscos de bioacumulação.

Como usar um condicionador sólido

Diferentemente dos shampoos sólidos, condicionadores sólidos não têm período de transição! Incluí-lo em sua rotina capilar é simples e rápido, substituindo facilmente o condicionador líquido. No caso do shampoo sólido, recomendamos cortar em 3 partes para maior durabilidade, mas no caso do condicionador a melhor coisa é deixar a barrinha intacta e usá-la inteira!

Para aplicar é necessário esfregá-la nas mãos úmidas ou diretamente nos fios molhados. É na presença de água abundante que a barrinha vai emulsionar com facilidade, aí é só espalhar uma fina camada de condicionador pela superfície dos fios, massagear suavemente e deixar agir em torno de 3 minutos enquanto ele trata e condiciona 🙂
Após esse período é só enxaguar normalmente e aproveitar fios leves, soltos e hidratados!




 


1) Barel, A. O.; Paye, M.; Maibach, H. I (ed.) Handbook of Cosmetic Science and Technology, 3rd ed. New York: Informa Healthcare, 2009.

2) Zhang, C. et al. Quaternary ammonium compounds (QACs): A review on occurrence, fate and toxicity in the environment. Science of the Total Environment. V. 518–519, 15 June 2015, p.  352-362.

3) Vanessa E. Melin, Haritha Potineni, Patricia Hunt, Jodi Griswold, Bill Siems, Stephen R. Werre & Terry C. Hrubec. 2014. Exposure to common quaternary ammonium disinfectants decreases fertility in mice. Reproductive toxicology (Elmsford, N.Y.) 50, 163-70.

4) National Industrial Chemicals Notificaiton and Assesment Scheme (NICNAS). Public Report: L-Isoleucine, C12-22-alkyl esters, ethanesulfonates. Australia, 2015. 


Imagens: Acervo Trópica Botânica; Barel, A. O.; Paye, M.; Maibach, H. I.

4 comentários em “Tudo que você precisa saber sobre condicionador sólido

  1. Olá, me interesso em utilizar o shampoo e condicionador em barra, mas como é a utilização?
    Eu vi que no site tem instruções de como utilizar o shampoo, mas e o condicionador?

    1. Olá, Natalia! Tudo bem? O condicionador tem o uso super simples: basta esfregar a barrinha nas mãos molhadas ou, se preferir, diretamente nos fios bem molhados também. Ela vai emulsionar na água e formar uma película protetora em todo seu cabelo 🙂 Depois disso é só deixar agindo por alguns minutos e enxaguar normalmente.

  2. Quero experimentar o condicionador sólido

    1. Olá, Marcilene! Tudo bem? Nossos condicionadores sólidos estão à venda na nossa loja online: https://tropicabotanica.com.br/categoria-produto/condicionadores/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *