BLOG

cosméticos veganos

Qual a diferença entre um cosmético vegano, natural e orgânico?

Por: Equipe Trópica em 24/07/2020

Na busca por alternativas aos cosméticos convencionais é comum surgir a dúvida: afinal, o que define um cosmético vegano, natural ou orgânico? É tudo a mesma coisa? Qual a diferença entre eles?

O que a princípio parece estar na mesma categoria pode, na verdade, ser muito diferente uns dos outros. Apesar de muitas vezes aparecem todos juntos por aí, nesse artigo vamos explicar certinho o que é cada um para que sua busca possa ser simplificada!

Cosméticos Naturais:
ingredientes de origem natural na formulação

Apesar de parecer simples, a categoria de “cosméticos naturais” engloba uma série de opções auto-denominadas naturais e que vão desde formulações totalmente naturais até outras com uma quantidade considerável de ingredientes sintéticos. Há casos de greenwashing onde um produto tem uma fração mínima de ingredientes naturais, mas o apelo “cosmético natural” é bem visível no rótulo.

Para ser considerado natural um ingrediente precisa ter sido extraído de fontes naturais. Argila, por exemplo, é um ingrediente natural, assim como o óleo essencial de lavanda: ambos foram retirados diretamente da natureza.

Esses ingredientes podem estar em maior ou menor concentração em um cosmético. Como não existe definição legal na legislação brasileira, é comum ser necessário recorrer a certificadoras particulares (como a brasileira IBD) e atender a seus parâmetros para poder oferecer um selo ao consumidor.

Esses parâmetros incluem a presença de uma porcentagem mínima de ingredientes naturais na formulação (que varia de 80% a 10%) e a proibição de alguns compostos. Dentre eles estão compostos comprovadamente nocivos à saúde e ao meio ambiente (como derivados de petróleo e aromas sintéticos), ingredientes transgênicos, testados em animais, matéria prima originária de animais abatidos, dentre outras diversas proibições.

Então um cosmético pode ser natural, mas não ser nem orgânico (certificação de que não foi usado fertilizante químico ou agrotóxico nas matérias primas selecionadas), nem vegano (possuir ingredientes naturais de origem animal, como mel ou cera de abelha, ou realizar testes em animais, caso não seja certificado).

cosmético vegano

Cosméticos orgânicos:
matéria prima livre de fertilizantes químicos e agrotóxicos

Matérias primas orgânicas são aquelas que são cultivadas ou extraídas sem o uso de fertilizantes químicos ou agrotóxicos. Essa categoria vem ganhando cada vez mais importância, acompanhando um movimento que também acontece dentro da alimentação consciente. Se queremos usar um cosmético natural que não agrida nossa pele, por que agredir o meio ambiente?

A preocupação com o uso de um cosmético orgânico vai além de não consumir algo prejudicial a si e se amplia para todos os envolvidos. Desde o cultivo da matéria prima, orgânicos preservam a saúde dos agricultores, do solo, dos rios e dos animais daquele ecossistema.

Essa é uma categoria também não regulamentada no Brasil para cosméticos. Ou seja, depende igualmente de parâmetros definidos por certificadoras particulares caso você busque por um selo (como a já citada IBD e a francesa Ecocert). Os parâmetros diferem entre cada uma, mas gira em torno da exigência de 95% de ingredientes orgânicos para certificação de “cosmético orgânico”, e 70% para “feito com ingredientes orgânicos”. Os ingredientes avaliados geralmente excluem a quantidade de água contida na formulação, avaliando somente os ativos.

Dessa forma, um cosmético orgânico precisa ser necessariamente natural, já que essa é uma alegação feita a partir do modo de cultivo de sua matéria prima, mas não será necessariamente vegano (pode conter cera de abelha orgânica, por exemplo).

cosmético vegano

Cosméticos Veganos:
nada de ingredientes de origem animal, nem testes animais

Um produto vegano é, por definição, algo que não explore nenhum animal. À primeira vista podemos pensar na ausência de ingredientes como mel ou sebo de animais (muito presente nos sabonetes convencionais), mas vai além disso. Um cosmético vegano não pode utilizar óleo de coco onde os cocos foram carregados por animais, por exemplo.

Ser um cosmético vegano também implica em não realizar testes em animais. No Brasil esses testes não são exigidos pela legislação, de forma que não são obrigatórios no país e é possível optar por não realizá-los, já que além de tudo seus resultados são muitas vezes questionáveis. Porém, a China ainda obriga que empresas cosméticas que vendam em seus território realizem testes em animais! Por isso é importante, quando pesquisando sobre um cosmético ser ou não vegano, descobrir se ele é vendido na China.

(Há uma lei tramitando na China que estipula outras formas de testar a segurança de cosméticos sem o uso de animais, mas até a presente data não está em vigor.)

Há ainda mais uma polêmica quanto a um cosmético ser ou não vegano: há empresas que testam seus cosméticos em animais que lançam linhas específicas que alegam ser veganas e cruelty free. Nesse caso, esse cosmético poderia ser considerado realmente vegano e cruelty free?

Assim como as duas categorias anteriores, não existe regulamentação oficial no Brasil que defina um cosmético vegano, sendo necessário recorrer a certificadoras particulares caso você busque um selo (como a SVB, a PETA dentre outras). Neste caso, atenção: nem todo cosmético com selo “cruelty free” será vegano, já que a PETA também fornece selo de “sem testes animais” a produtos que contém ingredientes de origem animal.

Por fim, um cosmético pode ser vegano (sem exploração animal envolvida), mas não ser nem natural (com formulações feitas somente a partir de ingredientes sintéticos), nem orgânico.

Qual eu devo escolher, então?

Essa é uma pergunta que só você poderá responder, e ela passa por critérios pessoais seus 🙂 Quais são suas necessidades, a quais produtos você tem acesso na sua região e quais são suas expectativas? Há produtos que atendem às 3 categorias integralmente, enquanto outros atendem uma a duas delas.

Por isso é importante ler a composição e as alegações feitas pelas empresas produtoras dos cosméticos. É assim que descobrimos se aquele produto é o que alega ser e que você espera que ele seja 🙂


Imagens: Alma Del Cassini

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *