BLOG

Entrevista com a dermatologista Julia Hunter

Por: Trópica Botânica em 15 de dezembro de 2016

Nossa pele está inegavelmente relacionada à nossa saúde como um todo, sendo muitas vezes um espelho para aquilo que acontece dentro da gente. Essa visão holística de nosso corpo é, no entanto, algo que ainda é raro de se encontrar na visão de médicos e médicas, sejam dermatologistas ou de outras especialidades. A ideia de que para tratar algo em nossa pele é necessário apenas receitar dermocosméticos acaba ignorando outros problemas subjacentes àquele sintoma, fazendo por vezes o tratamento ser paliativo e nunca chegar à cura desejada.

O trecho a seguir é traduzido de uma entrevista (que pode ser acessada integralmente aqui) com a dermatologista Julia Tatum Hunter, que tem uma visão interessante a respeito do funcionamento e das relações entre nosso corpo, nossa alimentação e o meio em que vivemos.
A dra. Julia Hunter era anestesiologista de cirurgia plástica, mas por observar que estas cirurgias invasivas tinham poucos resultados a longo prazo voltou-se à dermatologia e aprofundou seus estudos em nutrição, medicina tradicional chinesa e Ayurveda, de forma que sua abordagem complexa de tratamentos dermatológicos é uma boa referência para quem vê a saúde pelo seu potencial holístico.


Julia Hunter – www.juliathuntermd.com

“Roby Mitchell: Da maneira como você fala, parece que a dermatologia conduz inevitavelmente a uma perspectiva holística.

Julia Hunter: Bom, a pele diz muito sobre o que está acontecendo internamente, e você tem que resolver primeiro o interior para poder atingir os resultados externos. Acne e praticamente todas as outras patologias comuns de pele como a psoríase, ezcema e cânceres de pele são causados por problemas internos. Problemas de pele são multifatoriais, como tudo, com predisposições genéticas, fatores nutricionais, influências hormonais, efeitos colaterais de medicação, estresse, patologias inflamatórias – todos desempenham seu papel. Saúde intestinal, ou a falta dela, também desempenha um grande papel. Eu olho para as causas internas bem como quaisquer causas externas.

RM: Fale um pouco sobre o modo como você trabalha em termos de diagnóstico.

JH: Primeiro eu converso com meus pacientes. Eu elaboro um histórico extenso e examino tudo! O meu processo de levantamento de dados abrange todos os aspectos da sua saúde, incluindo histórico familiar, alimentação, atividades físicas, hormônios, funcionamento do intestino. E presto muita atenção a esses dois últimos. Minhas consultas iniciais duram 1h30. Eu também peço exames de sangue e biópsias quando necessário. Descobri que posso obter uma série de informações úteis a partir do Biomeridian system, que foi desenvolvido a partir dos trabalhos do Reinhard Voll na década de 1950, tentando identificar e validar eletronicamente os tsubos e os meridianos da acupuntura.

“O corpo é uma orquestra. Se um instrumento estiver desafinado, toda a orquestra soará mal.”

 

RM: Você vem aplicando o conceito de oximação – estresse oxidativo mais inflamação crônica em um contexto de desregulação hormonal e superpopulação de fungos – quando isso se adequa às doenças de pele. Fale a respeito.

JH: Muitas doenças de pele estão conectadas a danos acumulados devido à oximação e a uma grande atividade fúngica. O processo de envelhecimento, neoplasias cutâneas, doenças inflamatórias e auto-imunes são todos causados ou exacerbados pela oximação. Claro que há predisposições genéticas, mas é o ambiente no qual você coloca seus genes que causa doenças. Se esse ambiente constantemente desencadeia processos inflamatórios e oxidantes, os genes expressam essas patologias.

Fungos desempenham um papel etiológico primário ou secundário na maioria das doenças que vejo. Cândida e outros fungos desencadeam inflamações constantes. Se você não cura o supercrescimento desses fungos não vai curar a patologia. Você pode atenuá-la temporariamente, mas ela reaparecerá na pele ou em outro lugar. Pacientes nunca realmente se recuperam se eles estiverem em um constante estado inflamatório e carregando consigo fungos em seu organismo.

Hormônios, especialmente os hormônios da tireoide – ou a falta deles – desempenham um grande papel em tudo isto. Se você estiver com hipotiroidismo, sua pele, seu sistema imunológico, na verdade todo o seu corpo, estará trabalhando em um ritmo lento. Você terá maior proliferação de fungos, processos inflamatórios serão intensificados e a oximação também. Tudo começará a envelhecer mais rápido. Por isso temos de prestar atenção à tireóide e outros hormônios como testosterona, DHEA, cortisol, estradiol e estriol, progesterona, hormônio de crescimento. O corpo é uma orquestra. Se um instrumento estiver desafinado, toda a orquestra soará mal.

RM: Você diria que a doença de pele é um prenúncio de doença sistêmica?

JH: Muitas delas são apenas isso. Rosácea e vermelhidão, poros abertos, acne, inclusive no peito e nas costas, foliculite, caspa, pêlos da barba encravados, molusco contagioso (NT: um vírus parente da varíola), psoríase, eczema, vitiligo, queda de cabelo, queda de pelos das sobrancelhas, unhas fracas ou com micose, os cânceres da pele, bolsas sob os olhos, alguns tipos de verrugas, manchas escuras… Em minha experiência, tudo isso tem causas internas conectadas com inflamação, estresse oxidativo, supercrescimento de fungos, desequilíbrios hormonais ou problemas metabólicos.

A pele é apenas uma janela para o que se passa no interior. Você nunca vai curar a doença de pele a menos que cure a causa interna. Se você estiver usando esteróides para se livrar desses problemas de pele – como muitos médicos estão- você não cura, apenas as suprime temporariamente. Além disso, se você olhar a lista completa de ingredientes de muitos desses remédios de uso tópico, verá que eles estão cheios de ingredientes inflamatórios! Colocar ingredientes que provocam inflamações em um processo inflamatório é como jogar gás sobre um incêndio.

RM: Qual o papel que a alimentação desempenha nos problemas de pele e no tipo de abordagem do seu tratamento?

JH: Bom, acredito que somos aquilo que comemos e, como você gosta de dizer, não podemos medicar os pacientes para tirá-los de onde chegaram com sua alimentação e estilo de vida.

Na prática, percebi que as orientações do Peter D’Adamo em sua dieta sanguínea têm grande valor e dão aos pacientes uma boa diretriz sobre como comer para a promoção da saúde e beleza. A dieta paleolítica é boa a princípio, mas muitas pessoas não conseguem segui-la.

Mas antes de poder realmente começar com as dietas alimentares, precisamos nos concentrar na recuperação do intestino, que muitas vezes é realmente disfuncional em pessoas com doenças de pele. Sabemos que há uma parte muito importante do sistema imunológico concentrada ao longo do trato intestinal. Assim, o melhoramento do funcionamento do intestino também resolve a sobrecarga do sistema imunológico. Tenho visto acne grave e todo tipo de patologias de pele melhorarem ou resolverem definitivamente apenas pela cura de inflamações no intestino! Ao limpar o intestino você resolve problemas como gases, inchaço e constipação, além de, claro, limpar a pele.

Há muitos outros aspectos relacionados – a produção de ácido clorídrico pelo estômago, produção adequada de enzimas digestivas, ter os probióticos certos trabalhando no intestino, seguir corretamente uma alimentação rica em vegetais com ação anti-inflamatória, reduzir o consumo de carboidratos refinados e gorduras que causem inflamações.

“A verdade é que muitos dos meus pacientes que se expõem ao sol têm baixa vitamina D3 porque estão cheios de fungos, que estão consumindo tudo.”

 

RM: A vitamina D, ou “vitahormônio” D, como eu gosto de chamar, uma vez que ela age como um hormônio, está recebendo muita atenção ultimamente. Qual a sua opinião sobre a vitamina D e a exposição ao sol? Você defende que as pessoas evitem tomar sol e utilizem protetores solares?

JH: Use bloqueador solar, não protetor solar. Protetores solares não protegem contra inflamação ou danos de DNA induzidos por UV, eles simplesmente retardam esses problemas. Já o bloqueador solar desvia raios UV completamente, o que de fato protege, mas você precisa reaplicar a cada 2 horas para obter a máxima proteção. Recomendo também proteger os olhos e o couro cabeludo. Você não quer ter catarata ou uma cabeça cheia de câncer de pele/melanoma. Eu gosto de bloqueadores solares que têm zinco, já que muitas pessoas podem ter problemas com titânio.
(…) A verdade é que muitos dos meus pacientes que se expõem ao sol têm baixa vitamina D3 porque estão cheios de fungos, que estão consumindo tudo. (…)

RM: Quais são alguns dos ingredientes contidos em cosméticos que as pessoas devem tentar evitar e por quê?

JH: Eu evitaria qualquer coisa que esteja cheia de conservantes. Por que razão esses conservantes estão lá, em primeiro lugar? Porque a maioria dos produtos de pele são feitos anos antes de serem vendidos. Eles são essencialmente produtos “mortos” e só não rancidificam por causa dos conservantes, assim como os produtos alimentícios com conservantes químicos, que só não apodrecem na prateleira dos supermercados por causa desses conservantes.

Evite os parabenos, por serem inflamatórios e causarem envelhecimento precoce da pele. Trietanolamina é outro vilão, porque mimetiza o estrogênio em homens e mulheres. O propilenoglicol, que é muito comum, também é inflamatório e promove o envelhecimento da pele. Ureia, encontrada em muitos cosméticos, libera formaldeído e outras toxinas. Óleo mineral obstrui os poros, assim como a vaselina, então evite-os. Tente ficar longe do lauril sulfato de sódio, o que é difícil porque está presente em muitas coisas. Ele danifica as membranas celulares, destrói proteínas, desencadeia inflamações e promove o envelhecimento. Há uma longa lista de ingredientes nocivos, mas este é um bom começo.

RM: Sua linha inclui um produto exclusivo com vitamina C em pó. O que a vitamina C faz pela pele e por qual razão você desenvolveu essa formulação?

JH: A reticulação do colágeno ocorre graças à vitamina C. Quando ela está presente na pele, estimula a produção de colágeno. O resultado é uma pele mais firme e esticada, com um aspecto mais jovial pela nova produção de colágeno.

A vitamina C é anti-inflamatória, então ela diminui a rosácea, vermelhidão, poros abertos, envelhecimento, os danos causados pelo sol e protege contra substâncias químicas inflamatórias que circulam dentro da corrente sanguínea. Ele também ajuda a desmontar os melanócitos que geram as manchas escuras na pele. Diminui melasmas e manchas escuras ao redor dos olhos, além de ter efeito anti-microbiano, ajudando a matar bactérias, vírus e fungos. A vitamina C tópica é elementar para os cuidados com a pele.

O problema é que quando a vitamina C está em estado líquido, oxida rapidamente, o que significa que você tem pouco proveito do tempo de aplicação dela sobre a pele. Minha formulação é um pó; você o prepara a cada uso e obtém 100% de de ácido L-ascórbico. Você obtém também um monte de outros antioxidantes, vitaminas, minerais, L-glutationa e outras coisas boas.

RM: Você acha que um clínico geral bem informado poderia tratar essas patologias cutâneas mais comuns?

JH: Sim, certamente. Mas peço que não siga o caminho mais fácil e prescreva a hidrocortisona em busca de soluções rápidas que acabam danificando a pele a longo prazo. Quando receber alguém com erupções cutâneas crônicas, acne, doenças inflamatórias de pele, lesões que não cicatrizam ou envelhecimento precoce, analise cuidadosamente seus hormônios, sua alimentação, seu metabolismo, seu funcionamento gastrointestinal. Descubra o que está acontecendo sistemicamente. Se você resolver os problemas sistêmicos, os problemas de pele geralmente resolvem também.

Se você tiver feito o seu melhor e a patologia persistir, ou se você sentir que realmente não tem o tempo necessário para fazer um bom tratamento cutâneo, então encaminhe o paciente a um dermatologista. Os clínicos gerais também devem ter muito cuidado com verrugas de aparência suspeita. Muita atenção a qualquer sintoma de pele que pareça potencialmente carcinogênico. Esteja ciente de que existem mais melanomas sem pigmentação hoje em dia, então sempre levante essa suspeita.

RM: Quais são algumas de suas estratégias básicas no dia-a-dia para uma pele saudável?

JH: Certifique-se de que está obtendo vitamina D3 suficiente, e a partir de complementos alimentares, e não do sol. Beber muita água livre de produtos químicos. Consumir óleos de qualidade e boa procedência que contenham ômega 3 e ômega 6 – eu gosto da linhaça, das nozes e das avelãs. Não use sabonetes, shampoos e produtos de cuidados pessoais que contenham ingredientes tóxicos. Lembre-se que praticamente tudo o que você coloca na sua pele é absorvido por ela e entra em sua circulação.*

Quanto mais antioxidantes, vitaminas e minerais na sua alimentação, melhor! A melatonina, iodo/iodeto de potássio e magnésio são especialmente importantes. Evite o excesso de açúcar. Aprenda se livrar do estresse, desenvolver o seu senso de humor, compartilhar amor e amizade, abrir a sua mente, ter compaixão e respeito pelos outros! Tudo isso conta!

*Em relação à absorção de substâncias pela pele, a questão é mais complexa e não pode ser resumida a “praticamente tudo atinge a corrente sanguínea”. Para saber mais sobre esta interação, recomendamos este texto da farmacêutica Eliziane Pozzagnolo lá no Cosmetologia Orgânica


Imagem de capa: Dominik Martin

Deixe uma resposta

Redes Sociais

Inscreva-se e acompanhe as novidades